Última hora

Última hora

Egito: Resultados da eleição presidencial adiados

Em leitura:

Egito: Resultados da eleição presidencial adiados

Tamanho do texto Aa Aa

O comité eleitoral do Egito decidiu adiar a publicação dos resultados da eleição presidencial do passado fim-de-semana, para averiguar as diversas queixas apresentadas pelos dois candidatos, Mohammed Morsi e Ahmed Shafik.

A Irmandade Muçulmana vê nesta decisão mais uma manobra dos militares para atrasarem a passagem do poder:

“O Conselho Militar tenta, de forma indireta, não passar o poder no dia 30 de Junho e depois de reescrita a constituição, vai manter o poder legislativo até à eleição do novo parlamento. Isto pode demorar meses ou mesmo anos.”, afirma o presidente do parlamento dissoluto.

Há dois dias que a Irmandade Muçulmana reúne milhares de pessoas na praça Tahrir, para protestar contra as decisões do exército. Os manifestantes não escondem a desconfiança que este adiamento suscita:

“O número de votos é correto e a prova é que o número final de votos que foi anunciado pela campanha de Morsi é o mesmo que foi anunciado pela Associação dos Juizes do Egito”.

“Adiar o resultado da eleição significa a intenção de fraude. Há a intenção de trair o presidente eleito”.

Os dois candidatos reivindicam a vitória eleitoral. Um grupo de observadores americanos presente no Egito diz-se incapaz de avaliar se a eleição foi livre e justa, mas acusa os militares de dificultarem a transição do país para a democracia.