Última hora

Última hora

Eleições não devem causar violência no Egito

Em leitura:

Eleições não devem causar violência no Egito

Tamanho do texto Aa Aa

Logo depois de anunciados os resultados eleitorais no Egito, o repórter Jamel Ezzedini falou com o correspondente da euronews no Cairo, Riadh Muasses, sobre o que podemos esperar nas ruas.

Jamel Ezzedini: Riad, a comissão eleitoral anunciou oficialmente a vitória de Mohamed Morsi, o candidato da irmandade Muçulmana. Pode a vitória de Morsi abrir um novo capítulo de confrontos, ou pelo menos causar um braço-de-ferro entre o novo presidente e junta militar, relativamente aos poderes do presidente e à declaração constitucional complementar?

Riad Muasses: A eleição de Morsi, hoje, representa uma vitória para a Irmandade Muçulmana, mas também para quem os apoia, falo de todas as forças revolucionárias.

Na realidade, é uma nova batalha que se anuncia entre a Irmandade Muçulmana e a junta militar, em torno de questões que têm a ver com os poderes do novo presidente. Além disso, há um grande problema com o poder legislativo, que hoje está nas mãos da junta militar. Isso significa que vão ter de ser organizadas novas eleições legislativas.

A Irmandade Muçulmana não vai poder ter o mesmo resultado que teve nas primeiras eleições, uma vez que a opinião pública está, neste momento, dividida entre Shafiq e Morsi.

Há outras questões que ficam em suspenso, como o novo governo, ou ainda o procedimento que será preciso seguir para reescrever a constituição.

Jamel Ezzedini: Falaste numa divisão nas ruas, no Egito, hoje. Houve um desacordo entre os membros da comissão eleitoral a respeito dos recursos dos dois candidatos, para no final anunciarem a vitória de Mohammed Morsi. Isso vai aumentar a tensão e causar confrontos entre os apoiantes dos dois candidatos?

Riad Muasses: Não penso que vá haver um aumento da violência. Os recursos apresentados à comissão não vão mudar nada, já que há uma grande diferença de votos entre os dois candidatos – cerca de dois pontos percentuais, um milhão de votos. A comissão eleitoral já anunciou que os recursos não vão mudar em nada os resultados anunciados.