Última hora

Última hora

Mercados reagem positivamente a acordos de Bruxelas

Em leitura:

Mercados reagem positivamente a acordos de Bruxelas

Tamanho do texto Aa Aa

Itália e Espanha podem gozar de um fim de semana mais tranquilo, depois do acordo obtido na cimeira de Bruxelas ter permitido aliviar a pressão dos mercados sobre Roma e Madrid.

Os chefes do governo italiano e espanhol “forçaram” os parceiros da Zona Euro a adotar medidas de curto prazo para proteger os países da moeda única contra a especulação financeira.

O primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, afirmou que “todos os que fazem parte do Euro, adotaram-no de forma voluntária e querem que continue. Querem mais integração, tanto fiscal como bancária”.

A mobilização de 120 mil milhões de euros para estimular o crescimento económico na Europa estava pré-estabelecida. Mas, para obter a adoção do “pacto de crescimento”, os líderes europeus tiveram de autorizar o recurso aos fundos de resgate para recapitalizar diretamente os bancos ou comprar a dívida soberana de países em dificuldade nos mercados.

O presidente do Banco Central Europeu explicou que “ambas [as hipóteses] têm de ser acompanhadas de uma forte condicionalidade, para serem credíveis e darem resultados”.

Os mercados reagiram positivamente aos acordos obtidos em Bruxelas. As principais praças europeias – com Milão e Madrid na liderança – encerraram a última sessão da semana com fortes ganhos. A próxima semana dirá se o clima positivo é, ou não, duradouro.