Última hora

Última hora

Radicais do Mali continuam a destruir património da UNESCO

Em leitura:

Radicais do Mali continuam a destruir património da UNESCO

Tamanho do texto Aa Aa

Os islamitas do Ansar Dine que controlam Tumbuktu, cidade localizada no norte do Mali, destruíram esta segunda-feira a porta sagrada de uma mesquita do século XV, depois de terem demolido mausoléus de santos muçulmanos,

Os islamitas destruíram a entrada da mesquita Sidi Yahia de Tumbuktu e derrubaram a porta sagrada que nunca se abria, porque existe a superstição de que daria azar. Esta porta conduz a um túmulo de santos.

Afirmam agir em nome de Deus e em represália contra a decisão da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) de 28 de junho de inscrever a cidade de Tumbuktu na lista do património mundial em perigo.

O movimento tuaregue e o islamista, que controlam o norte de Mali há dois meses, juntaram-se para criar o Estado islámico independente de Azawad num território ocupado com 850 mil km2

Mohamed Ousmane Ag Mohamedun, ministro do Conselho

“A vontade poopular não aceita que o Azawad se transforme num Estado afegão.”

No Afeganistão, a assunção do poder dos radicais islâmicas também ficou ligada à destruição do património mundial da UNESCO.