Última hora

Última hora

EUA: GlaxoSmithKline submetida a "terapia de choque" anti-fraude

Em leitura:

EUA: GlaxoSmithKline submetida a "terapia de choque" anti-fraude

Tamanho do texto Aa Aa

A gigante farmacêutica GlasoSmithKline chegou a um acordo amigável com o governo norte-americano para evitar um processo judicial sobre a maior fraude de sempre do sistema de saúde do país.

A empresa deverá pagar uma multa de 3 mil milhões de dólares por mais de duas décadas de violação sistemática das regras de marketing e de segurança sanitária.

Para o vice-procurador geral norte-americano, Stuart F. Delery, trata-se de um passo importante no combate à fraude no sistema de saúde:

“trata-se de uma epidemia que atinge todas as facetas das nossas vidas. E no entanto, durante demasiado tempo ouvimos a indústria farmacêutica afirmar que este tipo de ações tratavam-se apenas de estratégias comerciais. É por isso que esta administração está comprometida a utilizar todas as ferramentas necessárias para derrotar a fraude no sistema de saúde”.

Em causa está a promoção de medicamentos como o Paxil, um antidepressivo para crianças testado apenas em adultos ou a ocultação de efeitos secundários em fármacos como o Avandia, receitado a diabéticos.

O cardiologista Steve Nissen recorda que, “entre 50 mil e 100 mil diabéticos morreram ou foram vítimas de ataques cardíacos que podiam ser evitados por causa do medicamento Avandia. Este fármaco fez mal a muita gente”.

À luz do acordo amigável, a empresa reconhece-se também culpada de ter oferecido durante anos viagens e outro tipo de presentes a médicos para que receitassem medicamentos da companhia.

Último passo da “terapia” anti-fraude aplicada pela justiça norte-americana, a farmacêutica vai ser submetida a uma vigilância permanente das autoridades federais durante cinco anos.