Última hora

Última hora

Parlamento britânico abre inquérito por causa do escândalo Barclays

Em leitura:

Parlamento britânico abre inquérito por causa do escândalo Barclays

Tamanho do texto Aa Aa

É com bons olhos que o governo britânico e a oposição veem a demissão do presidente executivo do Barclays, Bob Diamond.

O primeiro-ministro, David Cameron, anunciou, segunda-feira, a abertura de um inquérito parlamentar às atividades dos bancos britânicos, que terá acesso a documentos, dirigentes e ministros.

O ministro britânico das Finanças, George Osborne, considera que agora é preciso que “os bancos estejam focados no crédito à economia e não nos escândalos do passado” e espera “que este possa ser o primeiro passo para uma nova cultura de responsabilidade no setor bancário britânico.”

O líder do partido trabalhista considera a medida insuficiente e insistiu na necessidade de um inquérito independente e conduzido por um juiz.

“Precisamos de um inquérito liderado por um juiz independente para que se consiga chegar ao cerne destas práticas e formular recomendações de mudança para o futuro. Devo dizer a David Cameron que se ele não pedir um inquérito judicial então não vai compreender a gravidade e dimensão desta crise,” assegura Ed Miliband.

Bob Diamond era apontado como “o banqueiro dos 100 milhões de libras” convertendo-se assim, no símbolo dos excessos e da arrogância do mundo das finanças.

Em 2011 Diamond auferiu cerca de 21,2 milhões de euros e possui uma fortuna avaliada em mais de 124 milhões.

O presidente executivo demissionário do Barclays, será ouvido na quarta-feira numa comissão parlamentar. Em causa está a descoberta de que o banco terá, entre 2005 e 2009, manipulado a taxa de juro Libor, usada em empréstimos interbancários.