Última hora

Última hora

Tribunal Europeu dos Direitos Humanos pronuncia-se a favor da oposição ucraniana

Em leitura:

Tribunal Europeu dos Direitos Humanos pronuncia-se a favor da oposição ucraniana

Tamanho do texto Aa Aa

O Tribunal Europeu dos Direitos Humanos condenou a Ucrânia ao pagamento de 15 mil euros pelos danos morais provocados sobre Yuri Lutsenko.

Acusado, diz o tribunal “arbitrariamente”, de corrupção e abuso de poder, em fevereiro, o antigo ministro do Interior do Governo de Yulia Timoshenko recebeu uma sentença de quatro anos de cadeia.

O veredicto agora conhecido aumenta ainda mais a pressão sobre o presidente Viktor Yanukovitch, acusado de agir em função interesses políticos.

O Governo ucraniano não está de acordo com as acusações de violação dos direitos humanos e promete apresentar recurso. Mas o caso traz um novo fôlego para o destino da grande rival do presidente Yanukovitch.

“À semelhança de qualquer cidadão Yulia Timoshenko tem o direito de recorrer ao Tribunal Europeu dos Direitos Humanos. Por isso está a fazer uso de um direito legítimo e enquanto membro do Conselho da Europa, a Ucrânia deve respeitar a decisão desta instância”, diz José Manuel Pinto Teixeira, embaixador da União Europeia na Ucrânia.

Condenada a sete anos de prisão, Yulia Timoshenko também recorreu ao Tribunal Europeu dos Direitos Humanos. A batalha começou em agosto do ano passado e parece estar longe de esmorecer, até porque se espera um parecer deste tribunal a 28 de agosto.