Última hora

Última hora

Argentina: Avós da Praça de Maio regozijam-se com decisão da justiça

Em leitura:

Argentina: Avós da Praça de Maio regozijam-se com decisão da justiça

Tamanho do texto Aa Aa

A justiça argentina condenou antigos responsáveis da ditadura, a pesadas penas de prisão, pelo roubo de crianças de familias de opositores ao regime, entre 1976 e 1983.

O antigo general, Jorge Videla, foi condenado a 50 anos de prisão por ter posto em prática um “plano de roubo sistemático” das crianças, que eram depois entregues a famílias que apoiavam o regime.

O último dos generais da ditadura, Reynaldo Bignone, foi condenado a 15 anos de prisão. Ambos cumprem já penas de prisão perpétua por crimes contra a humanidade e violação dos Direitos Humanos.

As famílias das vítimas receberam a decisão do tribunal com enorme satisfação. A dirigente da organização das “Avós da Praça de Maio” afirma:
“Isto é justiça. Finalmente chegou. É preciso lembrar que começámos o processo em 1996. Na altura não sabíamos se este momento chegaria. Não conseguíamos imaginá-lo. Penso que é saudável para a sociedade”.

A Organização das “Avós da Praça de Maio”, responsável pela descoberta da identidade de 105 crianças sequestradas, estima em cerca de 500 o número total de bebés “roubados a opositores” durante a ditadura.

Para além de Videla e Bignone foram condenadas mais dez pessoas, entre as quais Jorge Acosta, responsável pela antiga Escola de Mecânica da Marinha, o centro de tortura emblemático dos regime, em Buenos Aires.