Última hora

Última hora

Tour de França: Peter Sagan não há duas sem três

Em leitura:

Tour de França: Peter Sagan não há duas sem três

Tamanho do texto Aa Aa

Peter Sagan confirma-se como a revelação do Tour. O ciclista eslovaco, detentor da camisola verde, venceu a sexta etapa da prova, a última favorável aos sprinters. Foi a terceira vitória de Sagan nesta edição.

Nos 205 quilómetros que ligam Épernay a Metz, os protagonistas voltaram a ser os mesmos. O alemão, André Greipel, que venceu as últimas duas etapas, viu-se envolvido em dois acidentes diferentes. Ainda assim, nos últimos quilómetros, Greipel conseguiu recuperar o tempo perdido e reintegrou o grupo de sprinters que lutaram pelo pódio. Por pouco, Greipel não ganhou a terceira etapa consecutiva, o alemão cruzou a meta em segundo lugar.

O terceiro e mais grave acidente do dia ocorreu quando faltavam pouco mais de vinte quilómetros para a chegada a Metz. No plano de uma estrada ligeiramente apertada, cerca de vinte ciclistas caíram e o pelotãp ficou dividido. A chegada dos carros de apoio demorou demasiado e com isso o grupo da frente ganhou uma grande distância.

Entre os que ficaram para trás, estavam o luxemburguês Franck Schleck, o espanhol Alejandro Valverde e o campeão do Giro de Itália e promessa para o Tour, Ryder Hesjedal. O canadiano perdeu mais de treze minutos, o suficiente para eliminar qualquer possibilidade de chegar a Paris com a camisa amarela.

Os dois portugueses em prova, Rui Costa e Sérgio Miguel Paulinho chegaram em quinquagésimo oitavo e octogésimo quarto lugares respetivamente.

Na classificação geral, nenhuma novidade. Fabian Cancellara vai vestir a camisola amarela na primeira etapa de montanha, entre Tomblaine e La Planche des Belles Filles. Os principais rivais, Bradley Wiggins e Cadel Evans permanecem a sete e a 17 segundos de distância.