Última hora

Última hora

Espanhois apostam no verão para arranjar trabalho sazonal

Em leitura:

Espanhois apostam no verão para arranjar trabalho sazonal

Tamanho do texto Aa Aa

A maioria dos espanhois, tal como dos portugueses, vai ficar sem férias.
Mesmo para os que ainda têm emprego, a crise e a incerteza económica anunciam uma profunda queda nas reservas hoteleiras, principalmente no norte e no centro do país.

Segundo as previsões da Federação Espanhola de Hotéis e Alojamentos turísticos, as reservas de turistas espanhois desceram 30% em comparação com o mesmo período do ano anterior.

Famílias da classe média, como a Cuccovillo Martínez, renunciam às férias por precaução. Durante 15 anos o nível de vida não cessou de crescer, mas a crise pôs fim a essa dinâmica. Francisca é professora:

“A 31 de agosto acaba o contrato e sempre mo renovaram. Este ano não sabe o que se vai passar e se no próximo ano tiver trabalho as condições serão piores. Portanto tivémos de tomar uma decisão relativa às férias, e não partir este ano.”

O marido, Eduardo, trabalha no setor automóvel. Tem um contrato temporário que acaba este mês de agosto e teme ficar no desemprego.

Eduardo:
“Gastar um dinheiro que amanhã não teremos é impossível. Pedir um empréstimo para ir de férias é uma loucura. Preferimos ficar-nos em casa para poder sobreviver”.

Há cada vez mais famílias espanholas a sofrer problemas económicos. A taxa de desemprego não pára de crescer. Em maio situou-se em 24,6%.

Jordi Goula é redactor chefe de economia em Barcelona, no diário ‘A Vanguardia’.

“há pouco tempo, saiu uma sondagem que divulgou que 70% dos espanhóis receiam perder o emprego nos próximos meses. Nesta situação, a sociedade torna-se mais conservadora e pensa duas vezes antes de gastar. Há 14 trimestres que o consumo privado está em baixa.”

Os espanhóis que vão para as zonas turísticas do país, como as Baleares, têm esperança de poder encontrar um trabalho sazonal.