Última hora

Última hora

Câmara dos Representantes volta a rejeitar reforma da Saúde de Obama

Em leitura:

Câmara dos Representantes volta a rejeitar reforma da Saúde de Obama

Tamanho do texto Aa Aa

A Câmara de Representantes dos Estados Unidos, de maioria republicana, aprovou nesta quarta-feira a anulação da reforma da saúde de 2010. Esta é já a 33ª tentativa dos republicanos de fazer cair a reforma, mas sem resultados práticos porque a iniciativa tem que passar pelo Senado, controlado pelos democratas e, de qualquer forma, Barack Obama tem poder de veto.

Desde que foi aprovada, esta reforma do sistema de saúde tem contado com a oposição dos republicanos, que durante o debate desta quarta-feira, sublinharam que é demasiado pesada para o Estado, sobretudo em tempos de crise económica. Além disso, dizem que é uma intrusão do governo em matérias que nos Estados Unidos têm sido da competência dos privados.

Esta anulação é um dos grandes temas de campanha dos republicanos. Mas Mitt Romney, o candidato republicano, pode perder apoiantes com esta proposta.
Numa ação de campanha junto da maior organização negra dos Estados Unidos, em Houston, Romney explicou que se objetivo for o trabalho, é obrigatório deixar de gastar biliões de dólares, sem que haja receitas. Por isso “quer cortar com todos os gastos não essenciais que encontrar, incluíndo a reforma da saúde de Obama.”
Quando proferiu estas palavras ouviu-se uma enorme vaia na sala.
Esta reação pode ser justificada pelo crescente apoio dos norte-americanos a reforma que tem por base a ampliação da cobertura médica universal e redução dos custos de saúde para os norte-americanos e é considerada a maior conquista legislativa de Obama.