Última hora

Última hora

Síria: exército lança nova ofensiva contra localidade rebelde em Deraa

Em leitura:

Síria: exército lança nova ofensiva contra localidade rebelde em Deraa

Tamanho do texto Aa Aa

Os observadores da ONU na Síria chegaram esta manhã à localidade de Tremseh, na região de Hama, três dias após o massacre que provocou pelo menos duas centenas de mortos na região.

Uma movimentação que ocorre num momento em que o exército lançou uma nova ofensiva nas últimas horas contra as zonas rebeldes na região de Deraa.

Centenas de militares tomaram de assalto a localidade de Khirbet Ghazalé, bombardeada pela aviação síria, tendo queimado dezenas de casas.

Uma estratégia de “terra queimada” semelhante àquela lançada na quinta-feira contra a povoação de Tremseh.

Um ataque condenado pela comunidade internacional e que para o conselho nacional dos rebeldes sírios é fruto da falta de reação da ONU.

“Consideramos que a Rússia é responsável pelo massacre de Tremseh e os anteriores massacres, pois o país é agora parte do problema e não da solução. E torna-se óbvio que a atitude da Rússia está a destruir as boas relações históricas entre a Síria e a Rússia”.

Tanto a Rússia como a China rejeitam adoptar sanções contra o regime de Bashar Al Assad no Conselho de Segurança da ONU.

O secretário geral das Nações Unidas, Ban Ki Moon, considerou ontem que as divisões internacionais constituem “uma licença para matar”, para o regime sírio.

O enviado especial da ONU e da Liga Árabe para a Síria, Koffi Annan, viaja na segunda-feira a Moscovo para tentar obter uma mudança de posição da Rússia, principal fornecedora de armas ao exército sírio.