Última hora

Última hora

Governo japonês e Tepco ignoraram risco de acidente nuclear em Fukushima

Em leitura:

Governo japonês e Tepco ignoraram risco de acidente nuclear em Fukushima

Tamanho do texto Aa Aa

O governo de Tóquio e a japonesa Tepco ignoraram os riscos associados à energia nuclear, tornando possível o acidente na central de Fukushima em Março de 2011.

Esta é uma das conclusões do relatório final sobre a catástrofe, a cargo de um painel de peritos nomeados pelo atual executivo.

O texto estipula que “a companhia de eletricidade [proprietária da central] e o governo não avaliaram a realidade do perigo”.

O advogado Toshio Takano, um dos membros do painel de peritos, diz que “quando um desastre como este acontece é preciso tomar decisões em condições duras e extremas. Se uma pessoa não está preparada para isso, isso significa que não tem as qualificações necessárias para gerir uma central nuclear”.

Segundo o relatório, a empresa não tomou as medidas necessárias para impedir o acidente causado por um sismo de magnitude 9 na escala de Richter, seguido por um tsunami.

A Tepco demorou a “identificar as causas do acidente”, o que impediu a indústria nuclear nipónica de tirar as conclusões adequadas da catástrofe.

O executivo é acusado de uma gestão inadequada da tragédia. A intervenção direta do então primeiro-ministro Naoto Kan “fez mais mal do que bem”.