Última hora

Última hora

Alemanha: Reações opostas à decisão da Moody's

Em leitura:

Alemanha: Reações opostas à decisão da Moody's

Tamanho do texto Aa Aa

Os alemães contam com a solidez da sua economia para fazer face à decisão da Moody’s de colocar a nota do país em perspetiva negativa.

Face à ameaça de perder o triplo A, políticos e economistas mostram-se tranquilos, dizendo que a Alemanha vai continuar a ser a “âncora da estabilidade da zona euro”.

Segundo o analista David Kohl, trata-se acima de tudo de um sinal de alarme. “É ainda cedo para nos preocuparmos. Seria preocupante em termos do valor das obrigações alemãs. Trata-se apenas disso, a perspetiva das obrigações do governo, sobre a qualidade do crédito. Mas continuamos com nota de triplo A.”

Até agora, a dívida alemã era vista como uma aposta segura e os investidores estavam prontos a pagar para emprestar dinheiro a Berlim.

A decisão da Moody’s pouco impacto teve até agora nas taxas alemãs e segundo Berlim é antes de mais um aviso aos países periféricos, como a Grécia: “a Alemanha tem limites e a austeridade é precisa”.

Tal como foi evocado por vários políticos, a decisão da Moody’s apenas reforça a política da chanceler Merkel. A grande maioria dos alemães opõe-se a mais planos de ajuda e defendem a saída de Atenas do euro se não cumprir os compromissos assumidos. Um alemão adianta: “Eu preferiria sair. Eu sugeriria à Grécia de sair, porque temos de suportar tudo e é por isso que estou preocupado”.
Outro acrescenta: “A Moody’s tinha de sair com algo durante o período calmo do verão. Penso que a Alemanha é bastante estável. Não penso que seja sensato minar isso com suposições fortuitas”.

A solidez da economia alemã é incontestável. Após três anos de crise na Europa, a Alemanha continuou a crescer e o desemprego atingiu níveis mínimos. Mas o motor da economia europeia vê-se arrastado para a tormenta e poderá ter de pagar agora o agravamento da situação com o seu raro triplo A.