Última hora

Última hora

Bombista de Burgas não agiu sozinho

Em leitura:

Bombista de Burgas não agiu sozinho

Tamanho do texto Aa Aa

Enquanto Israel e Bulgária comemoram as vítimas do autocarro de Burgas, novos dados dão conta que se trate de um atentado sofisticado, levado a cabo por um grupo experiente, e não apenas pelo kamikaze.

Graças às câmaras de segurança do aeroporto, sabe-se que o terrorista chegou à Bulgária vindo de um país do Espaço Schengen, segundo Boiko Borisov, primeiro-ministro búlgaro, que explicou também que o ADN do suspeito não consta em nenhuma base de dados, pelo que a sua identidade continua desconhecida. No entanto, sabe-se que o kamikaze teria entre 25 e 30 anos, podendo ser originário de um país árabe.

John Brennan, o conselheiro antiterrorismo de Barack Obama aponta o dedo ao Irão: “Há indicações claras de que o Hezbollah e o Irão têm estado envolvidos em conspirações terroristas contra inocentes em várias partes do mundo”.

Uma acusação que o Irão nega. “Os israelitas têm o hábito de acusar outros países, incluindo o nosso, de atos terroristas. Opomo-nos e condenamos quaisquer atos terroristas que ponham a vida de pessoas inocentes em perigo – incluindo o que se passou na Bulgária”, afirmou Ramin Mehmanparast, porta-voz do ministro iraniano dos Negócios Estrangeiros.

O atentado do dia 18 de julho matou seis pessoas, cinco das quais turistas israelitas. O ano passado, a Bulgária acolheu 140 mil turistas vindos de Israel. Este ano, esperam-se 160 mil.