Última hora

Última hora

Família: o contrapeso da crise

Em leitura:

Família: o contrapeso da crise

Tamanho do texto Aa Aa

Em Espanha, 400 mil de famílias espanholas dependem, nos dias de hoje, da ajuda financeira dos avós.

8 em cada 10 espanhóis garante que sem essa ajuda não poderia sobreviver. Isabel Torres perdeu o trabalho. O banco levou-lhe a casa. Mas não foi a única. A dívida da mãe enquanto fiadora fez com que perdessem o único teto que ainda tinham.

“Começaram a cortar aqui e ali. Mudaram-nos de instalações até que nos disseram que não era preciso ir mais trabalhar” afirma Isabel Torres.

“Tenho 460 euros para viver. Pago o meu quarto, o da minha filha e uma cave. Sobram-me 70 euros para comer durante o mês” refere Magdalena Cervigon.

Estima-se que 100 mil famílias tenham sido obrigadas a devolver as casas aos banco por falta de pagamento. Num país onde a taxa de desemprego ronda os 25 por cento, muitos não têm alternativa senão regressar a casa dos pais.

“Voltar é a parte mais difícil. Regressar a casa dos meus pais e voltar a depender deles” confessa Carlos Vesperinas.

Uma dependência que parece estar cada vez mais instalada.

“O meu filho casou, mas come diariamente em minha casa. Não sei se é pela comida da mãe e ou pelo que poupa” afirma uma mulher.

A família desempenha um papel essencial nos dias de hoje. Na última década, o número de avós a tomar conta dos netos aumentou cerca de 10 pontos percentuais.