Última hora

Última hora

"Cheira a guerra", afirmam israelitas

Em leitura:

"Cheira a guerra", afirmam israelitas

Tamanho do texto Aa Aa

Israel está a reforçar a linha de defesa na fronteira com a Síria. Mais do que uma onda de refugiados, as autoridades israelitas temem que armas químicas caiam nas mãos erradas.

O receio está a provocar uma corrida às máscaras de gás em Jerusalém. A procura aumentou na segunda-feira, quando Damasco admitiu usar armas químicas em caso de “agressão externa”. Israel ameaça intervir se o arsenal chegar às mãos do movimento xiita libanês Hezbollah.

Arie Zimet fez fila, num centro comercial, para adquirir uma máscara. “Olhe um pouco para o que se passa na fronteira e vai ver o que está a acontecer”, afirmou. “Não há a mesma estabilidade que havia antes. Não sei o que vai acontecer o futuro, por isso devemos estar sempre preparados.”

Maya Knobler, que também foi buscar uma máscara, é mais direta: “Cheira a guerra, a uma guerra química. Por isso, é a altura perfeita para adquirir uma máscara.”

O programa de distribuição gratuita de máscaras de gás foi implementado há dois anos mas, esta semana, a procura duplicou.