Última hora

Última hora

Diário Olímpico: China triunfa na ginástica, França e Estados Unidos dominam dentro de água

Em leitura:

Diário Olímpico: China triunfa na ginástica, França e Estados Unidos dominam dentro de água

Tamanho do texto Aa Aa

Mais uma noite de medalhas e recordes na piscina Olímpica de Londres. O destaque do dia voltou a ser o francês Yannick Agnel de apenas 20 anos.

Agnel venceu os 200 metros estilo livre com o tempo de 1“43’14. O francês bateu com quase um segundo de distância os segundos classificados: Taehwan Park e Yang Sun. Ambos chegaram ao mesmo tempo e venceram a medalha de prata. O quarto classificado foi Ryan Lochte ficou fora do pódio.

Lochte falhou o pódio, mas os compatriotas Missy Franklin e Matt Grevers não. Missy Franklin confirmou o estatuto de revelação da natação norte-americana e com apenas 17 anos impôs-se na prova de 100 metros costas.

Matthew Grevers ganhou a mesma prova na categoria masculina e ainda bateu o recorde olímpico. Grevers foi o melhor nos 100 metros costas masculino, o norte-americano de 27 anos mostrou a superioridade sobretudo na partida e na viragem aos 50metros. Grevers é o novo detentor do recorde olímpico com 52“16.

A lituana Ruta Meilutyte levou o ouro nos 100metros bruços com 1“05’47.

Ginástica

O terceiro dia de Jogos Olímpicos ficou ainda marcado pela vitória da China na ginástica masculina por equipas, prova que acabou ainda com jejum de cem anos de Grã-Bretanha sem medalhas. Os ginastas da casa alcançaram o terceiro lugar do pódio, uma medalha de bronze com valor de ouro.

A China venceu sem grandes surpresas. A campeã olímpica em Pequim e Atenas e detentora dos
últimos cinco títulos mundiais, era formada pelos ginastas Kai Zou, autor de uma impressionante demonstração na barra fixa, Zhe Feng, Yibing Chen, Chenlong Zhang e Weiyang Guo. A China terminou a prova com 275,997 pontos.

A ginástica masculina ficou porém marcada por uma polémica que envolveu o Japão, que conquistou um segundo lugar controverso. Depois de anunciadas as primeiras classificações, o Japão apelou para a nota atribuída ao triplo campeão do Mundo Kohei Uchimura, que teve uma saída deficiente no cavalo com arções. O júri aceitou o apelo e atribuiu uma nova nota que permitiu à equipa nipónica ascender da quarta para a segunda posição, relegando a Ucrânia para o quarto posto. Os japoneses acabaram com 271,952.

Portugueses desiludiram

Caíram por terra as principais – quase únicas – esperanças portuguesas por uma medalha olímpica. Na manhã desta segunda-feira o judo nacional começou da pior maneira com a eliminação de Telma Monteiro logo na primeira ronda. A judoca do Benfica perdeu na categoria de -57 kg contra a norte-americana Marti Malloy.

Em seguida, foi a vez de João Pina ser eliminado. O judoca português foi derrotado pelo ucraniano Volodymr Soroka na segunda ronda das eliminatórias da categoria -73kg.

China vs Estados Unidos

Na luta pelas medalhas, China e Estados Unidos terminaram o dia empatadas com 17 medalhas cada. A China, no entanto, ganha no número de ouros: nove até ao momento, contra cinco dos norte-americanos.

A França continua a escalar posições e é terceira com sete medalhas no total.