Última hora

Última hora

Ex-mulher de pedófilo e assassino belga autorizada a entrar em convento

Em leitura:

Ex-mulher de pedófilo e assassino belga autorizada a entrar em convento

Tamanho do texto Aa Aa

A ex-mulher do pedófilo e assassino belga Marc Dutroux poderá ser libertada depois de cumprir mais de metade da pena de 30 anos de prisão para entrar num convento.

A autorização dada pelo tribunal de Mons foi no entanto suspensa pela procuradoria-geral belga, que dispõe de 30 dias para se pronunciar sobre a libertação efetiva.

O advogado de Michelle Martin diz que “ela pretende ajudar as freiras em projetos humanitários, nomeadamente na preparação de alimentos para os mais necessitados. Ela quer realmente fazer coisas concretas para tentar redimir-se, pois sente-se culpada”.

A confirmar-se a libertação, Martin será acolhida pelo convento das irmãs Clarissas de Malonne, perto de Namur, no sul do país.

A notícia motivou reações de desagrado e receio por parte dos habitantes da pequena localidade belga.

Uma mulher explica que não se sente segura por que tem filhos, “um dos quais anda no jardim-escola [do convento]”.

Outro residente explica, indignado, que “o convento é um local que acolhe crianças e, hoje em dia, recebe assassinos. É uma vergonha, é monstruoso e não é normal”.

Na prisão desde 1996, Michelle Martin foi reconhecida culpada de sequestrar várias das vítimas de Marc Dutroux e de ter deixado morrer de fome duas crianças de oito anos, fechadas por trás de um muro na casa onde vivia com o então marido, perto de Charleroi.