Última hora

Última hora

Londres 2012: Michael Phelps, o melhor de sempre

Em leitura:

Londres 2012: Michael Phelps, o melhor de sempre

Tamanho do texto Aa Aa

Sem ser brilhante, Michael Phelps bateu o recorde de medalhas olímpicas. O norte-americano é o atleta com mais medalhas da história da competição.

A verdade é que Phelps já não é o temível monstro das piscinas de Pequim. O nadador de Baltimore perdeu a final dos 400 metros estilos para o compatriota Ryan Lochte e nem sequer esteve no pódio. Surpreendentemente esta terça-feira, Phelps perdeu a final dos 200metros mariposa por cinco centésimos de segundo para o sul-africano Chad Le Clos. Foi a primeira derrota do norte-americano nos 200m mariposa em grandes competições internacionais desde 2001. Ainda assim, a prata permitiu ao nadador igualar o recorde da ginasta soviética Larisa Latynina de 18 medalhas olímpicas.

Phelps não parecia convencido com as 18 medalhas e menos de uma hora depois, voltou à piscina olímpica de Londres para vencer a estafeta de 4×200 metros estilo livre com a equipa dos Estados Unidos. O norte-americano é o detentor do novo recorde com 19 medalhas conquistadas.

E não é só, Phelps ainda pode aumentar a sua coleção pessoal em Londres, pois o norte-americano irá competir em mais três provas (200m estilos, 100m mariposa e 4×100m estilos), antes de se despedir das grandes competições.

Esta terça-feira, a natação voltou a ser o destaque do dia com muitas medalhas e mais recordes. Allison Schmitt venceu os 200metros estilo livre e impôs novo recorde olímpico: 1“53’61. A campeã olímpica de Pequim, a italiana Federica Pellegrini, voltou a desiludir com um modesto quinto lugar.

Pouco depois, a chinesa Ye Shiwen demonstrou que não estava muito preocupada com as insinuações de doping e voltou a vencer o ouro e a bater um novo recorde olímpico nos 200metros estilos. Depois de bater o recorde olímpico nas meias-finais, Ye Shiwen de apenas 16 anos, impôs-se com um 2“07’57 na grande final da categoria.

Ginástica

Os Estados Unidos já demonstraram que não querem perder a luta de medalhas para a China novamente. Desta feita as norte-americanas conquistaram um título muito importante esta terça-feira na ginástica artística. Uma medalha que escapava aos Estados Unidos desde Atlanta em 1996. A Rússia foi a segunda classifica
e a Roménia terceira. A China, campeã olímpica em Pequim, ficou-se pelo quarto lugar.

Tenis

Outro momento alto do quarto dia de Jogos Olímpicos foi o encontro de ténis entre o francês Jo-Wilfred Tsonga e o canadiano Milos Raonic.
O jogo ficou para a história como o mais longo da história olímpica, tendo-se disputado 66 jogos e quase quatro horas.

O francês impôs-se em três sets: 6-3, 3-6 e 25-23, o que permite a Tsonga de avançar para a terceira ronda.

Atletas portugueses

A prestação dos atletas portugueses nos Jogos Olímpicos contínua a ser muito discreta. Esta terça-feira, Sara Carmo concluiu na 17ª posição a terceira regata da classe Laser Radial, ocupando o 25.º lugar da geral, em 41 participantes.

Os velejadores Bernardo Freitas e Francisco Andrade mantiveram o quarto lugar da geral da classe 49er, ao concluirem a terceira regata no 10.º lugar. Na geral, os portugueses seguem com os mesmos 19 pontos dos franceses Emmanuel Dyen e Stephane Christidis, terceiros classificados, atrás dos neo-zelandeses (17 pontos) e dos australianos Nathan Outteridge e Iain Jensen (11).

O português João Rodrigues, que vai sua sexta participação olímpica, terminou esta terça-feira na 16.ª posição, em 38 participantes, a segunda regata da classe de prancha à vela (RS:X), subindo à 17.ª posição da geral.

Aos 40 anos, João Rodrigues terminou a segunda regata a três minutos do vencedor, o holandês Dorian van Rijsselberge.