Última hora

Última hora

Putin lamenta decisão de Annan

Em leitura:

Putin lamenta decisão de Annan

Tamanho do texto Aa Aa

Moscovo e Pequim desferem um rude golpe nos esforços da diplomacia internacional para a Síria, mas dizem que lamentam.

O presidente russo, Vladimir Putin, afirma ter pena pela decisão tomada por Kofi Annan de abandonar o cargo de enviado especial internacional para a Síria.

“Kofi Annan é uma pessoa muito respeitável, um diplomata brilhante e um homem muito decente, é realmente uma pena. Mas espero que continuem os esforços da comunidade internacional para acabar com a violência.”.

Para este analista a demissão de Kofi Annan confirma aquilo que já se sabia a impossibilidade de se negociar o que quer que seja com o governo Assad para encontrarem uma solução para o conflito”.

Annan deixou o cargo, frustrado com a incapacidade de responsabilizar Damasco e face ao impasse criado no Conselho de Segurança da ONU pelos vetos da Rússia e da China.

Responsável pelas relações exteriores do Conselho Nacional sírio, Monzer Makus afirma que nesta fase “só uma solução fora do conselho de segurança poderá resolver a situação mas repito que terá de passar pela criação de zonas de exclusão aérea”.

Os russos também já avisaram que não apoiariam outra resolução de imediato, por considerarem haver um desequilibrado excesso de responsabilização do governo de Assad pela crescente violência na Síria.