Última hora

Última hora

Londres 2012: Emoção na piscina, desilusão no trampolim

Em leitura:

Londres 2012: Emoção na piscina, desilusão no trampolim

Tamanho do texto Aa Aa

Laure Manaudou, campeã olímpica dos 400metros livres em Atenas, aplaudia de pé a entrada do irmão Florent. O francês de 21 anos partia na pista sete e não era o favorito à vitória dos 50metros estilo livre: a distância que põe à prova os homens mais rápidos dentro de água. Ninguém acreditava que Florent Manaudou pudesse vencer o ouro, as atenções estavam todas voltadas para o brasileiro César Cielo, recordista olímpico e mundial da distância, mas Laure, não parecia ter dúvidas quanto ao sucesso do irmão.
 
Na partida, Cielo começou melhor. O brasileiro foi seguido por Cullen Jones até metade da prova, mas nos instantes finais tudo mudou. Florent Manaudou teve uma prestação absolutamente fantástica nos últimos metros e surpreendeu todos e todos ao ser o primeiro a bater com a mão. Florent nem queria acreditar no resultado. A irmã Laure das bancadas não conteve as lágrimas e saltou imediatamente as grades para ser a primeira a abraçar o novo nadador mais rápido do mundo.
 
O abraço dos irmãos franceses mais bem-sucedidos da natação olímpica ficará para a história como um dos momentos mais emocionantes de Londres.
 
Ainda esta sexta-feira, o Centro Aquático de Londres presenciou mais uma brilhante prestação de Michael Phelps. O norte-americano aumentou a contagem pessoal de medalhas olímpicas para 21 e venceu a quinta medalha em Londres com o ouro nos 100metros mariposa. Uma das revelações do torneio, o sul-africano Le Clos ficou com a medalha de prata e o russo Evgeny Korotyshkin completou o pódio.
 
Nas outras duas finais do dia, as nadadoras norte-americanas dominaram na piscina de Londres. Missy Franklin venceu o ouro nos 200 metros costas e impôs um novo recorde mundial. A russa Anastasia Zueva e a compatriota Elizabeth Beisel ficaram com a prata e bronze respetivamente.
 
Outra norte-americana, Katie Ledecky de apenas 15 anos triunfou nos 800 metros livres relegando para a terceira posição a anterior campeã olímpica, a britânica Rebecca Adlington. A espanhola Mireia Belmonte foi medalha de prata.
 
Ténis:
 
Em Wimbledon jogaram-se os acessos às finais dos torneios individuais feminino e masculino. Andy Murray presegue o sonho de triunfar perante o público britânico, mas para isso terá de derrotar o suiço Roger Federer. A final Olímpica será uma reedição da final de Wimbledon que Federer venceu sem grandes dificuldades. Para chegar à final, Murray eliminou Novak Djokovic por 7-5, 7-5, enquanto Federer bateu o argentino Del Potro depois de uma incrível batalha dentro de campo que durou quatro horas e 26 minutos. Federer levou a melhor ao fim de 3-6 7-6 e 19-17.
 
Rússia e EUA vão disputar a final feminina representadas por Maria Sharapova e Serena Williams. A russa número três do mundo eliminou a compatriota Maria Kirilenko na meia-final por 6-2 6-3. Enquanto Williams derrotou a bielorrussa Victoria Azarenka sem muitas dificuldades por dois sets a zero.
 
 
 
 
Atletas portugueses:
 
No dia em que o atletismo entrou em cena nos Jogos Olímpicos de Londres, Sara Moreira disputou a primeira final para Portugal e terminou a prova de 10 mil metros na 14ª posição. A portuguesa de 26 anos falhou o objetivo de ficar entre as oito primeiras, mas bateu o recorde pessoal: 31“16’44.
A atleta da Etiópia, Tirunesh Dibaba venceu a medalha de ouro com o tempo de 30“20’75 e as quenianas Kipyego e Cheruiyot completaram o pódio.
 
Durante a manhã desta sexta-feira, Marcos Fortes falhou o apuramento para a final do lançamento do peso. A melhor marca do português de 29 anos foi 20,06 metros que lhe garantiu a 15ª posição. Apenas os 12 primeiros tinham acesso à final.
 
Do atletismo chegou outra má notícia para Portugal, Patrícia Mamona falhou a presença na final do triplo salto por cinco centímetros. Mais uma vez, faltou pouco, a atleta Vice-campeã europeia em Helsínquia, terminou na 13ª posição.
 
Alberto Paulo foi afastado da final dos 3000 metros obstáculos terminando e primeira série das eliminatórias também no 12º lugar. Ainda na prova com barreiras, mas na distância de 400 metros, o atleta português Jorge Paula foi afastados nas eliminatórias depois de terminar a prova na penúltima posição da séria.
 
Ginástica
 
Esta sexta-feira, a ginástica individual feminina deu a vez ao trampolim masculino e também aqui Portugal tinha uma grande esperança: Diogo Ganchinho. O atleta português começou bem, terminando a primeira rotina na 13ª posição que permitia sonhar com uma presença na final. Uma queda do atleta de Santo Estêvão na segunda rotina comprometeu a passagem à final. Ganchinho ficou na penultima posição. O chinês Dong Dong sagrou-se campeão olímpico com uma pontuação de 62.990, batendo o Dmitry Ushakov (61.679) e o compatriota Lu Chunlong (61.319).
 
No entanto nem tudo são más notícias para Portugal, Álvaro Marinho e Miguel Nunes estão apenas a quatro pontos do pódio na regata da classe de 470. Os velejadores portugueses ficaram esta sexta-feira em terceiro lugar na quarta regata. Na geral, os britânicos Luke Patience e Stuart Bithell lideram, com nove pontos, enquanto os portugueses seguem em quinto, com 35, apenas menos quatro do que a dupla da Áustria, terceira.
As duas próximas regatas da classe 470 realizam-se no sábado.
 
Na classe laser, Gustavo Lima caiu para o 24º lugar da geral, depois de terminar a oitava regata na 20º posição. A velejadora Sara Carmo caiu dois lugares e ocupa o 26º posto na classe laser radial. Carmo concluiu a sétima regata no 32º posto.
 
Hipismo  
 
O hipismo deu a Portugal uma boa notícia ao sétimo dia de Olímpicos. O português Gonçalo Carvalho continua em prova. O cavaleiro nacional qualificou-se para a segunda ronda da prova de Ensino no 22º lugar num total de 49 concorrentes.
 
A próxima ronda está marcada para terça-feira, sendo que apenas os 15 com melhor classificação seguem para o Grand Prix Freestyle, que determina a atribuição de medalhas ao nível individual.