Última hora

Última hora

Preparados para o Rio 2016

Em leitura:

Preparados para o Rio 2016

Tamanho do texto Aa Aa

Ainda Londres é o centro das atenções e já o Rio se antecipa nos Media por causa da preparação dos próximos Jogos Olímpicos.

O evento é extremamente popular para o turismo, mas exige muito mais do que renovar avenidas e algumas infraestruturas. É preciso reduzir a desigualdade social e a criminalidade, autênticos cavalos de batalha das autoridades até 2016.

Carlos Villanova, diretor de comunicação dos Jogos Olímpicos do Rio 2016 falou com o correspondente da euronews, em Londres, sobre os os jogos, que vão custar cinco vezes mais do que o previsto nos orçamentos iniciais.

Carlos Villanova. Director de Comunicação em Rio 2016:

- Vamos tentar ajustar a realidade atual. Temos um orçamento consequente, mas quando o elaborámos, não tínhamos incluído o raguebi nem o golfe, porque só depois esses dois desportos foram incluidos nas Olimpíadas. Tínhamos outra situação económica. Nos próximos meses vamos fazer um ajustamento orçamental.

euronews – Jenson Button, piloto de Fórmula Um sofreu uma tentativa de assalto, em 2010, em S.Paulo. Como vão garantir a proteção no Rio a milhares de atletas, delegados e chefes de Estado?

Carlos Villanova – Um incidente isolado, como o que menciona, pode suceder em qualquer outro lugar do mundo. Mas posso dizer-lhe que, no Rio, temos uma grande tradição na organização de eventos muito importantes sem qualquer problema.

euronews – Londres tem tentado ter um impacto positivo, principalmente nas zonas desfavorecidas do Leste da cidade. Pensam seguir o mesmo padrão? Têm planos concretos para melhorar significativamente a situação nas favelas?

Carlos Villanova – Quando se estava a discutir o orçamento para a segurança, foi decidido mudar o plano inicial por outro mais ambicioso que mudava toda a filosofia de segurança na cidade.

Esse plano progrediu imenso, e atualmente temos muitas iniciativas, a UPP, as Unidades de Polícia de Pacificação são só apenas uma delas, e todas vão contribuir para mostrar outra imagem para além das famosas favelas de Rio.