Última hora

Última hora

A "caixa negra" da violência em Damasco

Em leitura:

A "caixa negra" da violência em Damasco

Tamanho do texto Aa Aa

Na capital síria, o bairro de al-Qaboun sofreu grandes estragos após três semanas de luta entre os rebeldes e o exército de Bashar al-Assad.

Grandes áreas do bairro estão agora reduzidas a escombros.

Bora Bayraktar, da Euronews, está em Damasco e deslocou-se até um hospital onde falou com soldados sírios feridos em combate.

“Começaram a disparar na nossa direção com RPG’s e metralhadoras PKC. Estávamos a passar uma zona a pente fino e um atirador furtivo atingiu-me na coluna vertebral. O meu companheiro também foi atingido e morreu como um mártir”, disse um.

“Fui atingido em todo o corpo. levei com um estilhaço aqui, na vista. A córnea foi afetada. Perguntaram-se porque apoiava o regime, porque não desertava e muitas outras coisas do género. Insultaram o regime, o país, tudo…”, afirmou outro.

O hospital de Tashreen, está situado em Al-Koussour, uma zona de Damasco que serve de barómetro da violência.

“O hospital de Tashreen fica no coração da violência em Damasco. Este hospital é como uma caixa negra da violência na cidade”, disse o jornalista da Euronews.