Última hora

Última hora

França: Imigrantes ilegais em Lille deportados

Em leitura:

França: Imigrantes ilegais em Lille deportados

Tamanho do texto Aa Aa

A França prossegue com a sua política anti-imigração ilegal. Depois de operações similares esta semana em Paris e Lyon, a polícia pôs fim, esta quinta-feira de manhã, a um acampamento de romenos próximo de Villeneuve d’Ascq, perto de Lille, no norte do país.

O acampamento era composto por autocaravanas, que foram confiscadas. Os imigrantes ilegais foram convidados a regressar ao país de origem. Mas não de imediato. “Não temos caravana. Vamos ter de dormir na rua. É um problema para as crianças. Elas não têm roupa”, lamentou uma das integrantes do grupo romeno, rodeada de crianças.

O processo de evacuação de imigrantes ilegais para o país de origem vem dos tempos de Nicolas Sarkozy. François Hollande, que subiu à presidência em maio, deu-lhe continuidade e justifica-o com questões de saúde pública.

Os residentes de Villeneuve d’Ascq agradecem. “Eram incêndios, roubos, pneus furados… Isto é um alívio para nós”, congratulou-se uma residente daquela localidade.

Mas há quem esteja contra as deportações. É o caso da associação Ateliers Solidários. “François Hollande comprometeu-se, numa carta de 27 de março enviada à organização Rom Europe, a não expulsar sem soluções. Aí está, uma promessa falhada”, acusou Yann Lafolie, presidente da Ateliers Solidários, que acompanhou no local o desmantelamento do acampamento ilegal em Villeneuve d’Ascq e até discutiu com alguns residentes.

A medida francesa, que já vêm de 2010, prevê uma compensação de 300 euros por adulto e 150 por criança para quem aceite ser deportado. Mas até isto tem um volte-face. Muitos imigrantes aproveitam as fronteiras abertas na União Europeia para regressar a França.