Última hora

Última hora

Londres 2012: Pimenta e Silva batem Michael Phelps

Em leitura:

Londres 2012: Pimenta e Silva batem Michael Phelps

Tamanho do texto Aa Aa

Ao fim de doze dias de Jogos Olímpicos, chegou a primeira medalha para Portugal. Após uma semana dececionante, as previsões já apontavam para uma edição em branco para as cores nacionais, equiparável ao que aconteceu em Barcelona 1992. Fernando Pimenta e Emanuel Silva foram os primeiros a acreditar que isso não iria acontecer e ofereceram a Portugal uma medalha de prata sofrida e bem merecida na final masculina da categoria K2, mil metros. A 23º medalha olímpica portuguesa não só evita uma edição em branco, algo que já não acontecia há vinte anos, como ultrapassa o número de medalhas de Michael Phelps, que concluiu a carreira em Londres com a marca de 22 medalhas, igualando aquele que era o recorde português.  
 
Fernando Pimenta, 22 anos, de Ponte de Lima e Emanuel Silva, 26 anos, de Braga formavam a dupla mais jovem da final e ainda estiveram muito, muito perto da medalha de ouro. A dupla cortou a meta apenas 53 milésimos atrás dos vencedores Rudolf Dombi e Roland Kokeny da Hungria. Os alemães Martin Hollstein e Andreas Ihle da Alemanha foram terceiros. Ficou um ligeiro sabor amargo pela medalha de ouro falhada, mas uma grande satisfação pelo segundo lugar do pódio, a melhor classificação da comitiva portuguesa em Londres.
  
 
Apesar de uma primeira semana manchada pelo desaire dos judocas e pelas várias meias-finais falhadas na natação, a participação portuguesa não está a ser negativa. Será dificil igualar o resultado de Pequim, quando Portugal regressou a casa com um ouro e uma prata, mas está ainda tudo em aberto para a contagem de medalhas. Esta quinta-feira Joana Vasconcelos e Beatriz Gomes vão disputar mais uma final na canoagem, os K2 500 metros. Também Gonçalo Carvalho marcará presença na luta por medalhas na categoria dressage no hipismo. Ainda que o atletismo não tenha dado frutos até ao momento, é preciso não esquecer que dez das 23 medalhas olímpicas da história de Portugal foram dadas pelo atletismo nacional.
 
Com três representantes de peso na marcha feminina: Inês Henriques, Ana Cabecinha e Vera Santos, Portugal ainda pode lutar por mais medalhas. Inês Henriques sublinhou que vai lutar por um lugar no top 10. Está tudo em aberto na marcha e também na maratona, que tantas alegrias já deu a Portugal.
 
 
 

*Atletismo*  
 
Esta quarta-feira ficou mais uma vez marcada pelo atletismo. O Estádio Olímpico de Stratford recebeu mais uma enchente para ver o domínio de Usain Bolt e Yohan Blake nas meias-finais dos 200 metros. Os dois jamaicanos já demonstraram que a luta vai ser entre eles.
 
Nos 400 metros barreiras feminino, a russa Natalya Antyukh foi a grande protagonista ao levar a medalha de ouro, batendo o recorde pessoal com o tempo 52.70. A atleta de 31 anos foi terceira no campeonato mundial de Daegu e medalha de bronze em Atenas nos 400 metros. A campeã mundial Lashinda Demus teve de se contentar com um segundo lugar, enquanto Zuzana Hejnova da República Checa completou o pódio.
 

Numa das grandes atrações da noite, os 200 metros femininos, a norte-americana Allyson Felix impôs-se às jamaicanas Campbell-Brown e Fraser-Pryce e faturou o primeiro ouro olímpico individual da carreira. Depois de duas medalhas de prata em Pequim e Atenas na mesma distância, Felix subiu finalmente ao último degrau do pódio. A campeã olímpica dos 100 metros, Fraser-Pryce venceu a prata e a norte-americana Carmelita Jeter foi medalha de bronze. A surpresa da noite foi a campeã olímpica de Pequim e Atenas dos 200 metros, Campbell Brown ficar de fora do pódio.  
 
Na distância de 110 barreiras, o ouro foi para outro norte-americano, Aries Merritt. É a primeira medalha olímpica da carreira para Merrit que já tinha chamado atenção ao vencer os 60 metros barreiras no campeonato do mundo indoor. Merritt relegou o compatriota Jason Richardson, campeão mundial de Daegu e grande favorito da distância, para o segundo lugar do pódio. O jamaicano Hansle Parchment venceu o bronze.
 
O domínio norte-americano na pista atletismo, esta quarta-feira, estendeu-se ainda ao salto em comprimento. Um salto de 7.12 metros valeu a Brittney Reese o título olímpico.
 
A russa Elena Sokolova com o melhor salto da carreira (7.7metros) conquistou a medalha de prata, enquanto a norte-americana Janay Deloach ficou com o bronze.