Última hora

Última hora

Ilva provoca batalha institucional em Itália

Em leitura:

Ilva provoca batalha institucional em Itália

Tamanho do texto Aa Aa

O executivo italiano insiste em salvar a siderúrgica Ilva, em Taranto, no sul do país. Um tribunal local ordenou, na sexta-feira, a paragem da produção, no âmbito de um inquérito por “catástrofe ambiental.”

O primeiro-ministro italiano, Mario Monti, pediu a três ministros para se deslocarem a Taranto, a 17 de agosto. O Governo mostra-se disposto a recorrer ao Tribunal Constitucional para evitar o fecho da maior siderúrgica europeia, depois de ter acordado mais de 300 milhões de euros para despoluir a fábrica.

Em causa estão 20 mil postos de trabalho diretos e indiretos. “Infelizmente, somos apenas trabalhadores”, comenta um deles. “Gostaríamos de defender os nossos postos de trabalho, mas nestas condições não podemos fazer nada.”

Outro trabalhador afirma: “Por enquanto, ninguém nos disse que a fábrica vai fechar. Veremos no futuro.”

Apesar da manifestação de 2 de agosto dos trabalhadores contra o fecho da siderúrgica, a justiça argumenta que a saúde está em primeiro lugar. A decisão do tribunal local baseia-se em estudos que demonstraram um aumento de 15 por cento de casos de cancro nos arredores da fábrica e um aumento de 30 por cento de casos de cancro do pulmão.