Última hora

Última hora

Reações no Egito: apoio à medida de Mursi

Em leitura:

Reações no Egito: apoio à medida de Mursi

Tamanho do texto Aa Aa

Os egípcios apoiam a decisão de Mohamed Mursi. O presidente eleito decidiu anular a declaração constitucional adotada pelo exército que reforçava o poder dos militares.

Quanto às reações: para alguns islamitas, a decisão é motivo de celebração. Outros, mesmo apoiando a mudança, acreditam que a dívida da nação para com estes militares não deve ser esquecida.

Badawi, cidadão egípcio: “Pode dizer-se que a partir de hoje, o país não está mais sob o regime militar. O poder militar terminou e o Egito vai-se tornar num estado civil, em que todos terão os seus direitos.”

Ahmed, cidadão egípcio: “Estas pessoas conduziram o país atravéz de fases muito difíceis. Não devem ser ir para a reforma, tão subitamente, é por isso que o presidente Mursi nomeou Tantaui e Sami Anan como conselheiros. O povo egípcio deve agradecer e saudá-los pois lideraram o país em momentos penosos.”

Mohamed Mursi ordenou a passagem à reforma de Hussein Tantaui, antigo ministro da Defesa e que dirigiu o Conselho Militar durante o período de transição, de fevereiro de 2011 até junho de 2012,
e do general Sami Anan, chefe do Estado Maior das Forças Armadas.

O presidente egípcio justifica a decisão de revogar os poderes dos militares como sendo em: “benefício da nação e do povo”.