Última hora

Em leitura:

Irão alerta para as consequências desastrosas que teria uma exclusão aérea sobre a Síria


Síria

Irão alerta para as consequências desastrosas que teria uma exclusão aérea sobre a Síria

A oposição a Bashar al-Assad tem lançado o apelo para que seja estabelecida uma zona de exclusão aérea sobre a Síria; os Estados Unidos declararam que seria possível fazê-lo, mas que “essa decisão política” ainda não foi tomada.

O Irão, aliado do regime de al-Assad, fez saber, através do chefe da diplomacia, Ramin Mehmanparast, que essa possibilidade configura uma “conspiração” por parte dos Estados Unidos e de Israel. Essa hipotética jogada “americano-sionista”, como lhe chamou, equivale a abrir a porta a um conflito militar de larga escala.

No terreno, há cada vez mais preocupações com a situação dos refugiados. No campo de Zaatari, na Jordânia, houve confrontos entre as autoridades e dezenas de exilados que pretendiam sair rumo aos abrigos temporários de Ramtha porque, dizem, aqui não há condições.

Falta luz, faltam formas de comunicar com o exterior, falta ar, como desabafa uma refugiada, que garante ser impossível dormir por causa do pó que está em todo lado, e que impossibilita respirar normalmente.

A ONU regista mais de 135 mil refugiados sírios sobretudo na Turquia, Jordânia e Líbano. Muitos chegam em condições bastante debilitadas, depois de longos percursos através das fronteiras, sob temperaturas tórridas.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte

mundo

Tunísia: Mulheres lutam pela igualdade de direitos