Última hora

Última hora

Atentado junto ao hotel da ONU em Damasco destinava-se aos comandantes militares do regime

Em leitura:

Atentado junto ao hotel da ONU em Damasco destinava-se aos comandantes militares do regime

Tamanho do texto Aa Aa

Uma violenta explosão abalou Damasco, ao início da manhã, junto ao hotel que acolhe os observadores das Nações Unidas. Nenhum dos elementos da missão foi atingido. Há, no entanto, registo de três feridos.

Os rebeldes do Exército Livre da Síria vieram, prontamente, reivindicar o atentado, salientando que o alvo não era o hotel da ONU, mas sim um edifício do Estado-maior, onde todos os dias os militares do regime coordenam as manobras no terreno.

O jornalista da euronews, Bora Bayraktar, relata que na origem da deflagração esteve um camião-cisterna, repleto de combustível, não se sabendo se o engenho explosivo estava instalado ou não no veículo.

Os representantes oficiais declararam que este é mais um exemplo das “operações criminosas” a que a Síria está sujeita, um mês depois doutro atentado, que matou quatro altos responsáveis do regime, entre os quais o cunhado de Bashar al-Assad.

Bora Bayraktar conta que o episódio provocou momentos de pânico no hotel que aloja os observadores internacionais, mas que, à medida que o dia avançou, estes regressaram ao trabalho.

Imagens do local onde ocorreu o atentado à bomba, recolhidas pelo correspondente da Euronews na Síria, Bora Bayraktar.


Visualizzazione ingrandita della mappa