Última hora

Última hora

África do Sul: Homenagem aos mineiros mortos em Marikana

Em leitura:

África do Sul: Homenagem aos mineiros mortos em Marikana

Tamanho do texto Aa Aa

Na África do Sul, enquanto não são retomadas as negociações salariais que estão na origem da guerra aberta entre dois sindicatos que lutam pela hegemonia no setor mineiro, realizaram-se cerimónias de recolhimento em honra dos 34 trabalhadores mortos durante os confrontos com a polícia a semana passada.

Os mineiros recusam voltar ao trabalho, não só porque as suas reivindicações não foram ainda satisfeitas mas também porque isso seria um insulto aos mortos.

“Como trabalhamos como uma maioria, se a maioria regressar ao trabalho, também regresso. Se a maioria não regressar ao trabalho amanhã, também não vou porque não posso ir trabalhar enquanto os outros choram os seus”, disse um dos mineiros.

A mina de platina de Marikana é a mais produtiva da empresa Lonmim, a maior produtora de platina do mundo.

O presidente da África do Sul, Jacob Zuma, nomeou uma comissão interministerial de inquérito aos confrontos em que 34 mineiros foram mortos e 78 ficaram feridos.

O executivo sul-africano decretou uma semana de luto em memória dos mortos em Marikana.