Última hora

Última hora

Etiópia: Primeiro-ministro morre após infecção súbita

Em leitura:

Etiópia: Primeiro-ministro morre após infecção súbita

Tamanho do texto Aa Aa

O primeiro-ministro da Etiópia, Meles Zenawi, morreu esta segunda-feira à noite em Bruxelas onde estava internado. Meles Zenawi contraiu uma infecção súbita e no domingo teve que ser internado de urgência.

A morte de um dos líderes políticos mais influentes de África foi confirmada pelo porta-voz da Comissão Europeia, Olivier Bailly: “enviamos uma mensagem de condolências do Presidente da Comissão, para o Presidente e para o povo etíope…depois da morte do primeiro-ministro Meles Zenawi, que morreu na última noite em Bruxelas.”

Zenawi estava doente há um ano mas não deixou de trabalhar. Em Julho, o governo etíope informou que o primeiro-ministro tinha sido hospitalizado mas sem revelar a doença.

Meles Zenawi tinha o apoio dos países europeus era considerado o responsável pela transformação da Etióptia num país desenvolvido economicamente e até com algum poder a nível regional.

Na mensagem de condolências, Durão Barroso enalteceu o combate de Zenawi pela união africana, a luta contra as alterações climáticas e em prol do desenvolvimento.

Agora o governo etíope já está a preparar a sustituição do primeiro-ministro. Um porta-voz do governo, Bereket Simon, explicou que “de acordo com a Constituição, o vice-primeiro-ministro vai ter que ir ao parlamento prestar juramento e o governo está a preparar tudo para que o parlamento seja convocado o mais cedo possível.”

Esta morte e esta mudança no governo teve diferentes reações em África.
Logo após a notícia da morte de Zenawi, os rebeldes islâmicos da Somália afirmaram que este era um “dia histórico”…e que estavam muito contentes com a morte do primeiro-ministro, sobretudo porque acreditam que a Etiópia vai entrar em colapso.

Recorde-se que, por ordem de Zenawi, as tropas etíopes lutaram contra estes rebeldes na fronteira com a Somália.