Última hora

Última hora

Mark Regev: Queremos ver uma Síria mais estável e em paz com Israel

Em leitura:

Mark Regev: Queremos ver uma Síria mais estável e em paz com Israel

Tamanho do texto Aa Aa

Euronews entrevistou o primeiro-ministro israelita, Mark Regev.

Euronews – Israel planeia atacar o Irão em breve?

Mark Regev – Até agora, apesar da pressão diplomática, das sanções económicas e de outros esforços por parte da comunidade internacional, o regime iraniano segue em frente, na corrida em direção a uma arma nuclear – uma arma que será apontada ao meu país. Portanto, é muito importante manter todas as opções em cima da mesa.

Do lado de Israel, ainda não tomamos uma decisão. Mas sabemos que, se for tomada a decisão de usar a força militar, há custos envolvidos. Só posso dizer o seguinte: os custos envolvidos em não agir, em ver o Irão proliferar e conseguir uma arma nuclear são, obviamente, muito maiores e devastadores.

euronews – Israel tem o poder militar para acabar com as ambições nucleares do Irão?

MR – Nunca entro em questões operacionais, peço desculpa.

euronews – Preocupa-o que o grupo libanês Hezbollah possa intervir? O que acha do último discurso de Hassan Nasrallah, em que disse que a vida de milhares de israelitas será um inferno, se Israel atacar o Líbano?

MR – Vemo-lo como uma ameaça e estamos prontos a enfrentar essa ameaça e eu não aconselho a ninguém, especialmente ao Hezbollah… É fácil falar, mas creio que ele vai ser mais cauteloso, porque não é do seu interesse iniciar um conflito com Israel. Não deve por-nos à prova.

euronews: Qual a sua posição sobre os conflitos sangrentos na Síria?

M R – Expressámos a nossa indignação e preocupação para com com o povo Sírio, que está a sofrer sob este regime brutal. Todos os dias vemos relatos de mais mortes de pessoas inocentes e isso tem de parar. Para além dessas questões, temos outras especiais, relacionadas com o grande arsenal de armas químicas na Síria. Não queremos que cheguem às mãos de extremistas, do Hezbollah, da Al Qaida ou de outras organizações extremistas.

Queremos ver uma Síria que será mais estável e em paz com Israel. É a nossa esperança, mas não interferimos para além de dizermos que apoiamos o direito do povo Sírio de ter um governo melhor.

euronews – Acredita que a segurança de Israel é ameaçada pela relação do Hamas com o novo partido governante do Egito?

M R – Só posso dizer que temos um problema com o Hamas. O Hamas tomou o controle da Faixa de Gaza e em vez de investir no futuro e tentar construir uma vida melhor para do povo de Gaza mantém o extremismo investindo num futuro conflito com Israel.

euronews – Última pergunta, como responde às acusações de que Israel matou Yasser Arafat?

MR – Simplesmente não é verdade e não creio que alguém leve essas acusações a sério. Gostaria de relembrar ao lado palestiniano que todos os documentos relativos à saúde de Arafat, sobre o tratamento médico estão com eles – ou com o família, ou com o governo palestiniano. Então digo-lhes: em vez de cultivarem teorias da conspiração, por que não tornar tudo público? Certamente que iria esclarecer o assunto…

Full interview with Mark Regev (English)