Última hora

Última hora

Síria: Obama adverte regime de Damasco

Em leitura:

Síria: Obama adverte regime de Damasco

Tamanho do texto Aa Aa

O presidente Barack Obama numa óbvia advertência ao regime de Damasco, afirmou que a deslocação ou utilização de armas químicas na Síria constitui para os EUA uma “linha vermelha” com “enormes consequências”.

“Fomos bem claros para o regime de al-Assad e também para outros intervenientes no terreno. Para nós a linha limite será atingida quando notarmos a movimentação ou utilização de armas químicas.
Isso alteraria os meus cálculos e a minha equação”, afirmou Barack Obama.

Por seu lado o ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Sergei Lavrov, alertou para o que chamou “impor democracia com bombas”, e que só o Conselho de Segurança das Nações Unidas pode autorizar a utilização da força contra a Síria.

“Ainda acreditamos que se os participantes na cimeira de Genebra exigissem de alguma forma que o documento fosse aprovado, acabariam com a violência e seria possível iniciar negociações sobre um governo provisório para o país. Então seria possível encontrar uma solução que salvaria muitas vidas humanas”, afirmou Lavrov.

Enquanto isto, o presidente francês, François Hollande, durante uma reunião com o mediador internacional, Lakhdar Brahimi, disse que “não pode haver solução política” para a Síria “sem a saída” do presidente Bashar al-Assad.