Última hora

Última hora

O terceiro maior criminoso da guerra dos Balcãs

Em leitura:

O terceiro maior criminoso da guerra dos Balcãs

Tamanho do texto Aa Aa

Quando foi preso, em 2007, Zdravko Tolimir era considerado o terceiro criminoso de guerra mais procurado pelo TPI para a ex-Jugoslávia, a seguir a Radovan Karadzic e Ratko Mladic.

Responsável pela segurança do exército dos sérvios na Bósnia durante a guerra, Tolimir era um dos sete comandantes adjuntos que rendiam contas diretamente ao Chefe de Estado Maior, Ratko Mladic.

Tolimir terá facilitado mais tarde a fuga do chefe dos sérvios de Bósnia, que ainda continua a ser julgado em Haia.

Nomeado arguido por este Tribunal em 2005, Tolimir foi preso dois anos mais tarde na fronteira entre Sérvia e a República Srpska graças à cooperação das polícias sérvia e bósnia. O processo começou em fevereiro de 2010 depois de vários atrasos devido ao frágil estado de saúde.

O TPI para a ex-Jugoslávia acusa-o de genocídio, assassinato, expulsão e tratamento cruel dos muçulmanos da Bósnia Herzegóvina, nos enclaves de Srebrenica e Zepa.

Segundo a acusação, Tolimir conhecia, devido ao cargo que ocupava no exército, o plano que existia para eliminar a população muçulmana desses enclaves.

A localidade de Srebrenica continua a ser o símbolo do pior massacre na Europa depois do fim da II Guerra Mundial. As comemorações do 17° aniversário da tragédia tiveram lugar no passado mês de julho.