Última hora

Última hora

Eleições presidenciais em Angola

Em leitura:

Eleições presidenciais em Angola

Tamanho do texto Aa Aa

Os angolanos vão a votos esta sexta-feira.
Eleições que decorrem em clima de protestos, desconfiança e acusações de falta de transparência.

Depois dos partidos da oposição terem pedido o adiamento do escrutíneo e terem denunciado várias irregularidades no processo, o presidente da Comissão Nacional Eleitoral angolana garantiu que “estavam reunidas todas as condições” para a realização das eleições gerais.

No último comício, em Luanda, o presidente angolano e de novo candidato ao lugar, garantiu que vai trabalhar para um país mais democrático.
“Nós não escondemos as dificultades que o pais vive, somos realistas, pragmaticos e práticos quando necessário”, afirmou José Eduardo dos Santos.

A UNITA, principal partido da oposição que nas eleições de 2008 teve apenas 12% dos votos contra os 82% do MPLA, garante que tem cada vez mais apoiantes e pode vencer as eleições.
“ Vimos homes e mulheres, anciãos, jovens que percorreram distancias enormes a pé para nos vir ouvir”, lembrou Isaías Samakuva, líder da UNITA.

Entretanto, esta quinta-feira pelo menos seis pessoas foram detidas em Luanda, quando tentavam realizar uma vigília de protesto junto à Comissão Nacional Eleitoral. A manifestação organizada pela Juventude Patriótica Angolana, foi de imediato desmobilizada pela polícia.