Última hora

Última hora

EUA: Republicanos pela economia e contra Obama

Em leitura:

EUA: Republicanos pela economia e contra Obama

Tamanho do texto Aa Aa

O conservador Paul Ryan apostou mesmo em fazer a dupla do Rock ‘n’ Roll com Romney e cumpriu. Assegurou o espetáculo na Convenção Republicana com dinamismo e como se esperava: criticando Obama e lançando o debate sobre economia.

O programa do vice-presidente republicano da ala direita e radical do partido, agrada à elite conservadora, como verificou o correspondente da euronews, Stefan Grobe:

Newt Gingrich, porta-voz do Congresso e ex-candidato presidencial, explica:

“A razão principal é o colapso da economia sob o mandato de Obama. Temos a pior situação económica desde a Grande Depressão”.

No programa republicano, o corte radical da despesa pública para poder baixar os impostos, principlamente aos mais ricos, e a reforma dos seguros médicos para os tornar mais acessíveis aos reformados e pensionistas em geral. Em definitivo, um projecto liberal à medida dos mais conservadores. Mas na ala moderada do partido pedem-se outras reformas.

O governador do Texas, Rick Perry:

“Estas eleições são cruciais para o futuro da economia nos Estados Unidos e no mundo. E as políticas que não aliviem o setor privado do excesso de impostos e de regulamentação estarão a minar a economia. Mitt Romney defende isto, Paul Ryan também. Ambos vão fazer tudo para os norte-americanos voltarem ao trabalho. Se a economia norte-americana estiver forte, a economia do mundo também será mais forte.”

O senador do Arizona, John McCain defende o mesmo:

“Evidentemente que estas eleições se vão centrar no emprego e na economia. Mitt Romney tem de aumentar a popularidade e fá-lo-à porque é necessário um projeto claro para a reativação da economia.”

Romney prometeu criar 12 milhões de empregos nos próximos quatro anos, se conseguir chegar à Casa Branca.