Última hora

Última hora

Espanhóis começam a sentir efeitos do aumento do IVA

Em leitura:

Espanhóis começam a sentir efeitos do aumento do IVA

Tamanho do texto Aa Aa

Os espanhóis já sentem os efeitos do aumento do IVA de 18% para 21%. A medida extraordinária aplicada pelo governo entrou em vigor no sábado dia 01 de setembro.

Os cálculos do executivo de Mariano Rajoy apontam para um custo de 437 euros por ano às famílias criando receitas adicionais de 9,5 mil milhões de euros para o Estado. Um valor contestado pelos sindicatos que apontam 7,5 mil milhões de receitas adicionais.

Os espanhóis não se conformam. “É mau, horrível, horrível. Os preços vão subir mais ainda. Estão-nos a tirar o dinheiro do bolso. Afeta-nos a todos. Por isso é muito mau.”

Ao aumento de três por cento da taxa máxima, junta-se o de dois por cento da taxa intermédia que sobe para os 10%. A taxa reduzida mantém-se nos quatro por cento.

Em relação aos combustíveis, o IVA subiu 3 por cento. Vários bens que beneficiavam da taxa reduzida passam para a taxa máxima. É o caso do material escolar que sofre um aumento de 17%, a poucos dias do início do ano letivo.

O setor automóvel beneficiou com o aumento do IVA, com as vendas a crescerem no mês agosto, pela primeira vez desde janeiro. O aumento foi de 3,4%, mas com as perdas acumuladas desde o início do ano o setor continua em queda de 8,5%.