Última hora

Última hora

Um trunfo chamado Michelle

Em leitura:

Um trunfo chamado Michelle

Tamanho do texto Aa Aa

Com um sorriso nos lábios e um andar seguro. Foi assim que Michelle Obama subiu ao palco da convenção democrata e arrebatou os aplausos da multidão. A popularidade da primeira-dama é uma vantagem para Barack Obama. Michelle não se coibiu de fazer uma declaração de amor ao presidente.

“Deixem-me dizer-vos que, hoje, amo mais o meu marido do que há quatro anos ou há 23 anos, quando nos conhecemos. Deixem-me dizer-vos porquê. Adoro que ele nunca se tenha esquecido de como começou. Adoro que possamos confiar que Barack faz aquilo a que se compromete fazer, mesmo quando é difícil… Especialmente quando é difícil”, assegura Michelle Obama.

Desde o início, Michelle mantém-se ao lado de Barack Obama. A advogada aprendeu a não ofuscar o marido sem, no entanto, perder a própria identidade. A primeira-dama foi conquistando um lugar na Casa Branca e no coração dos americanos.

Nos últimos quatro anos Michelle tem-se dedicado a ajudar os mais pobres, a apoiar os militares e as suas famílias e a combater a obesidade infantil.

Um trabalho que lhe valeu a aprovação dos norte-americanos. De acordo com as sondagens, a primeira-dama conquistou o apoio de 66 por cento dos eleitores, mais 20 do que o marido.

Michelle tem conquistado a nação, não apenas com o trabalho filantrópico mas com uma arma secreta, que a caracteriza: o humor.

A primeira-dama norte-americana cumpre os deveres oficiais, sem descurar os deveres de mãe.

Michelle assegurou que Sasha e Malia não crescessem na redoma que pode ser a Casa Branca. Sempre defendeu que as filhas deveriam crescer e desenvolver-se com a maior “normalidade” possível.

Depois do desgaste de um mandato difícil, Barack Obama parece estar a perder o apoio dos norte-americanos, contudo Michelle continua a atrair a atenção dos “media”, sendo por isso o dos maiores trunfos do presidente.