Última hora

Última hora

Mediação em vista depois de dia negro para a Lufthansa

Em leitura:

Mediação em vista depois de dia negro para a Lufthansa

Tamanho do texto Aa Aa

Mais de cem mil passageiros viram-se afetados esta sexta-feira por uma greve histórica do pessoal de cabine da Lufthansa. No entanto, o dia negro para a transportadora aérea alemã terminou com uma aproximação de posições entre direção e o principal sindicato do setor.

O presidente do sindicato UFO, Nicoley Baublies, explica que “foi obtido um acordo de mediação com a Lufthansa. Foi assinado um pré-acordo para mediar os contratos salariais coletivos em questão. Para já e formalmente, este é o único quadro para a arbitragem”.

O recurso a um mediador, procedimento recorrente na Alemanha, poderá permitir encontrar uma saída para a crise. Até à assinatura do acordo arbitral, na próxima quarta-feira, não haverá novas paralisações.

O porta-voz da Lufthansa, Klaus Walther, explica que “a greve afetou mais de cem mil pessoas. Uma parte foi compensada com medidas preventivas e esperamos agora que o tráfego aéreo regresse à normalidade”.

O processo de reconciliação deverá contemplar uma melhoria salarial e uma participação do pessoal de cabine nos resultados da empresa. A Lufthansa anunciou também que vai renunciar à contratação de pessoal externo nas ligações aéreas em Berlim.