Última hora

Última hora

Alemanha: judeus e muçulmanos unidos para defender circuncisão

Em leitura:

Alemanha: judeus e muçulmanos unidos para defender circuncisão

Tamanho do texto Aa Aa

As comunidades muçulmana e judaica alemãs encontram-se, desde junho, em pé de guerra com o governo para que não proíba a circuncisão por motivos religiosos.

Cerca de trezentas pessoas manifestaram-se, em Berlim ,para exigir que o executivo adote uma lei para autorizar a prática religiosa, depois de um tribunal de Colónia ter considerado a circuncisão como um ato “ilegal prejudicial ao corpo humano”.

“O governo alemão tem de permitir esta prática com uma lei que permita legalizar a circuncisão”, afirma Kenan Kolat, representante da comunidade turca alemã.

Já a representante da comunidade judaica, Lala Süsskind, queixa-se da forma como o debate sobre o tema tem sido abordado nos média:

“Estamos revoltados contra todos os comentários exaltados, mas incompetentes, sobre a circuncisão que ouvimos nos últimos tempos. Hoje queremos explicar, com o nosso rabino e o responsável turco, o que é a circuncisão e o que significa para as nossas religiões”.

Desde a decisão do tribunal de Colónia, em junho, que a maioria dos médicos alemães suspenderam este tipo de cirurgia, por medo de represálias.

Para acalmar a tensão, o executivo estuda uma forma de legalizar a prática, sob certas condições, nomeadamente sempre que seja realizada por médicos especializados e sob anestesia. Duas propostas rejeitadas já pela comunidade judaica.