Última hora

Última hora

Obama afirma que "Al-Qaida está devastada" no aniversário do 11 de setembro

Em leitura:

Obama afirma que "Al-Qaida está devastada" no aniversário do 11 de setembro

Tamanho do texto Aa Aa

Onze anos após os atentados de 11 de setembro, os Estados Unidos mostram que querem apagar definitivamente a página da guerra contra o terrorismo da era de George Bush.

Numa cerimónia marcada mais pela memória do que pelo luto, frente a pouco mais de 500 pessoas, os nova-iorquinos voltaram a recordar as mais três mil vítimas dos atentados contra as torres gémeas.

Pela primeira vez em 11 anos, os políticos preferiram o silêncio aos discursos oficiais, mesmo na campanha para as presidenciais, suspensa por um dia.

Na Casa Branca, o presidente Barack Obama e a esposa Michelle, cumpriram um minuto de silêncio em memória das vítimas de Nova Iorque, Washington e Pittsburg.

Obama pronunciou um breve discurso, distante dos argumentos dos anteriores aniversários dos atentados. Como para fechar um ciclo, o presidente declarou que, “a liderança da Al-Qaida está devastada”.

“A tragédia uniu-nos e eu sempre disse que a nossa luta é contra a Al Qaida e os seus parceiros não contra o Islão ou qualquer outra religião. Este país foi construído como uma tocha da liberdade e da tolerância. Foi isso que nos deu força, agora e sempre”.

Obama deverá visitar esta tarde o pentágono para reunir-se com os comandos militares e assinalar o aniversário do ataque contra Washington.

Em Nova Iorque, familiares e próximos das vítimas recordaram um a um, os nomes das pessoas desaparecidas a 11 de Setembro de 2001.