Última hora

Última hora

África do Sul: mineiros rejeitam oferta salarial e governo endurece tom

Em leitura:

África do Sul: mineiros rejeitam oferta salarial e governo endurece tom

Tamanho do texto Aa Aa

Os protestos dos mineiros sul-africanos da região de Rustenburg continuam sem fim à vista. Os participantes nas greves selvagens que duram há cinco semanas rejeitaram os aumentos salariais oferecidos pelo patronato, que consideram bastante inferiores às reivindicações.

Inquieto com as consequências para o setor e a economia do país, o governo ameaçou deter os agitadores. O ministro da Justiça afirmou que “o executivo fez um apelo a todos os sul-africanos para que desistam destas ações ilegais e está a trabalhar com as forças de segurança para que a situação se normalize”.

Os protestos degeneraram no dia 16 de Agosto, quando elementos da polícia mataram a tiro 34 manifestantes na mina de platina de Marikana.

As forças de segurança reforçaram esta sexta-feira posições em Marikana e noutras povoações da região de Rustenburg, apelidada de “cintura de platina”.