Última hora

Última hora

Prisão perpétua para salafistas que mataram pacifista italiano

Em leitura:

Prisão perpétua para salafistas que mataram pacifista italiano

Prisão perpétua para salafistas que mataram pacifista italiano
Tamanho do texto Aa Aa

Prisão perpétua, para os dois salafistas, responsáveis pela morte do pacifista italiano, Vittorio Arrigoni.

O acodão foi proferido por um tribunal militar da Faixa de Gaza, o território palestiniano, governado pelo Hamas.

Mahmoud al-Salfiti, de 24 anos e Tamer al-Hassasna, de 26, foram considerados responsáveis e, por isso, condenados a prisão perpédtua.

Os seus dois cumplices, Kadher Jiram e Amer Abou Houla, ambos com 26 anos, foram condenados, respectivamente a 10 anos e um ano.

O primeiro por envolvimento direto nos factos, o segundo por ter emprestado a casa, onde Vittorio Arrigoni foi encontrado enforcado.

Os três primeiros eram membros do corpo de polícia local, funções de que foram agora destituídos, por decisão do tribunal.

Os factos remontam a 15 de Abril de 2011. Vittorio Arrigoni foi capturado nessa data, por um grupo de salafistas e, poucas horas depois, apareceu morto.