Última hora

Em leitura:

Aumento histórico de 22% leva mineiros de Marikana de volta ao trabalho


África do Sul

Aumento histórico de 22% leva mineiros de Marikana de volta ao trabalho

Foi com satisfação que os mineiros sul-africanos de Marikana receberam a notícia de um acordo entre sindicatos e patronato.

Os mineiros vão receber um aumento de 22% dos salários e um prémio único de dois mil rands – cerca de 190 euros – para retomarem, na quinta-feira, o trabalho na mina de platina de Lonmin.

“O aumento é de cerca de 22%, o que é muito elevado. Não creio que isto alguma vez tenha acontecido na história das negociações. Mas os sindicatos continuam as negociações e a percentagem aumentará em outubro”, explica o bispo Seoka, representante dos trabalhadores.

“Estou muito satisfeito com esta oferta”, Sithembile Sohati, um mineiro, que continua: “Nunca, na história do sindicato nacional dos mineiros, tivemos uma percentagem destas. Estou feliz. Agora podemos avançar, esquecer esta luta.”

Foram quase seis semanas de greve e conflito que deixaram, para trás, um rasto de violência policial e de morte, que chocou o mundo.

Ao todo, 45 pessoas perderam a vida, trinta e quatro foram abatidos a tiro pela polícia, no raid de 16 de agosto, naquele que já foi considerado o maior massacre na África do Sul, desde o fim do apartheid, no início da década de 1990.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte

mundo

Morreu Santiago Carrillo