Última hora

Última hora

Estado de alerta em França após publicação de novas caricaturas de Maomé

Em leitura:

Estado de alerta em França após publicação de novas caricaturas de Maomé

Tamanho do texto Aa Aa

França está em estado de alerta depois da publicação de novas caricaturas de Maomé pelo semanário satírico francês Charlie Hebdo, esta quarta-feira.

A publicação surge num contexto extremamente tenso devido ao filme norte-americano “A Inocência dos Muçulmanos” que está na origem de manifestações, muitas delas extremamente violentas, um pouco por todo o mundo árabe.

O ministro do Interior francês, Manuel Valls, esteve reunido com membros da comunidade muçulmana de França. À saída do encontro fez questão de afirmar que “vivemos num contexto internacional particular, no qual cada indivíduo tem que ter a noção das consequências dos seus atos. É por isso que o governo vai estar extremamente atento a qualquer incidente que possa afetar a ordem pública.”

Paris já ordenou o encerramento de embaixadas, consulados e escolas em 20 países muçulmanos. Depois do protesto de domingo contra o filme norte-americano, o executivo decidiu proibir uma manifestação prevista para sábado nas ruas da capital.

O reitor da Grande Mesquita de Paris, Dalil Boubakeur, apela à calma.

“Faço um apelo aos nossos irmãos e irmãs, à nossa comunidade, para que não se deixe influenciar por falsos pastores, falsas sereias. Nós temos um grande respeito pela unidade da França, pela ordem pública e por todas as crenças quer sejam judaicas, cristãs, muçulmanas, budistas ou qualquer outra crença religiosa.”

“Liberdade de expressão ou provocação?” Questiona o correspondente da euronews em Paris, Giovanni Magi. “Seja como for, a publicação das caricaturas de Maomé fazem aumentar os receios de possíveis ataques violentos ou de intolerância, em França e não só.”