Última hora

Última hora

OGM:Eurodeputado exige novos estudos por agências comunitárias

Em leitura:

OGM:Eurodeputado exige novos estudos por agências comunitárias

Tamanho do texto Aa Aa

Um estudo francês que alerta sobre possíveis riscos para a saúde humana dos organismos geneticamente modificados, conhecidos por OGM, foi divulgado esta quarta-feira.

Dia que coincidiu com uma “Marcha em favor da boa alimentação”, em Bruxelas, na qual agricultores e ecologistas, vindos de 20 paises da União Europeia, pediram uma reforma da política agrícola comum mais justa e respeitadora do meio ambiente.

Perante a notícia do estudo sobre OGM, o eurodeputado ecologista francês Jose Bové disse à euronews que “as empresas mentiram aos cidadãos quando disseram que não havia riscos”.

“As agências europeias de segurança alimentar, que são independentes, vão ter de agir. É fundamental reabrir o debate e fazer uma reavaliação dos OGM, agora que temos esta informação extraordinária que mostra os perigos dos OGM para a saúde humana”, acrescentou Jose Bové.

No estudo, ratos comeram alimentos com OGM durante toda a sua vida, isto é dois anos. Desenvolveram tumores e doenças de figado e rins.

Os estudos anteriores – nos quais se baseiam as autorizações de produção na UE – eram de apenas tês meses, pelo que a euronews questionou se a Comissão Europeia vai mudar de política.

“Se este estudo for cientificamente válido e fornecer novas informações, então a Comissâo Europeia terá de lidar com as consequências”, disse um porta-voz da CE.

No espaço da União Europeia é autorizado o cultivo de dois OGM: um tipo de batata criado por uma empresa alemã e um tipo de milho criado por uma empresa dos Estados Unidos.