Última hora

Última hora

Síria: Atletas livres juntam-se à revolta contra o regime

Em leitura:

Síria: Atletas livres juntam-se à revolta contra o regime

Tamanho do texto Aa Aa

O desporto sírio está num impasse face à revolta civil que se vive no pais. A Síria tem sido representada em provas internacionais, como os recentes Jogos Olímpicos, por atletas indicados pelo regime de Bashar al-Assad. Mas há uma organização que pretende ocupar esse lugar.

O grupo Atletas Livres da Síria, que reúne desportistas opositores do regime a viver fora do país, anunciou, no Qatar, o desejo de ser reconhecido como representante oficial do povo sírio em provas internacionais e assim acabar com a opressão que dizem estar a ser feita sobre os desportistas.

“Todos os atletas que vivem na Síria são forçados a agir de acordo com o regime. Como jogador, quando participo em provas no estrangeiro toda a minha família fica vulnerável, presa. Se eu tentar desertar, a minha família é morta”, contou à Euronews Abdul Ameer, jogador de andebol.

Os Atletas Livres da Síria acusam o regime de Bashar al-Assad de gerir o desporto sob ameaça. O objetivo é conseguir o reconhecimento internacional e acabar com essa opressão, como nos conta Yasser al Hallak, porta-voz do grupo: “Fomos aconselhados a procurar o reconhecimento dos países árabes. Queremos ser uma alternativa real na próxima reunião dos ministros árabes da Juventude e Desporto e assim evitar o vazio que esperamos no desporto sírio após o colapso do regime.”

Os atletas sírios a viver no estrangeiro confiam na queda de Bashar al Assad. Se conseguirem o reconhecimento pretendido, este será mais um duro golpe no ainda presidente sírio.