Última hora

Última hora

África do Sul: Greves de mineiros alastram depois do acordo em Marikana

Em leitura:

África do Sul: Greves de mineiros alastram depois do acordo em Marikana

Tamanho do texto Aa Aa

Nova confrontação entre mineiros e a polícia na África do Sul. Perante a ameaça de armas tradicionais, a polícia não hesitou em disparar gás lacrimogéneo e balas de borracha. Desta vez foram os operários de Amplats a saírem à rua. Os mineiros da Anglo American Platinium querem um acordo semelhante ao que assinou a administração da Lonmin face à pressão dos mineiros de Marikana.

“Nós não vamos voltar ao trabalho enquanto as nossas exigências não forem atendidas ou então ficamos aqui à espera do que têm para dizer” – explica um mineiro.

O conflito social alastra a outras minas e tem como pano de fundo rivalidades entre sindicatos. O acordo de Marikana foi obtido por um sindicato minoritário que agora reivindica uma vitória sobre o sindicato dominante, aliado do ANC do presidente Jacob Zuma. Os trabalhadores de Marikana conseguiram um aumento salarial de 22 por cento.

Os filiados do AMCU celebraram o acordo num comício-festa em Marikana. A greve tornou-se um caso de Estado na sequência de confrontos entre manifestantes e a polícia, em agosto, que resultaram na morte de 45 mineiros.