Última hora

Última hora

Geórgia: Manifestantes intensificam protestos contra abusos nas prisões

Em leitura:

Geórgia: Manifestantes intensificam protestos contra abusos nas prisões

Tamanho do texto Aa Aa

Divulgadas a pouco menos de duas semanas das eleições legislativas de 1 de outubro, as imagens polémicas de tortura, abusos e até violações numa prisão de Tbilisi, capital da Geórgia, continuam a incendiar a opinião pública.

Os familiares das vítimas, ainda em estado de choque, dirigiram-se em massa à Prisão número 8, no epicentro do escândalo.

Pelo menos dez pessoas foram detidas, incluindo o chefe da cadeia em Tbilisi, dois deputados e alguns guardas prisionais. O ministro responsável pelo sistema penitenciário demitiu-se.

O Governo fala numa encenação com motivações políticas. O Presidente Mikheil Saakashvili, cujo partido enfrenta um duro teste a 1 de outubro, promete mão pesada para os infratores.

Nas ruas, os manifestantes não baixam a guarda e exigem a renúncia do ministro do Interior, que também fala numa orquestração por parte dos inimigos de Saakashvili.

Inimigos como o multimilionário filantropo Bidzina Ivanishvili, líder do partido da oposição “Sonho da Geórgia” e proprietário de uma das estações de televisão que divulgou o vídeo.

Mikheil Saakashvili lidera a Geórgia desde 2004. Manteve-se com grande popularidade devido às reformas económicas, os esforços contra a corrupção e os movimentos para estreitar laços maiores com o Ocidente.